Reputação e posicionamento de marca: tudo o que você precisa saber aplicado à horticultura

quarta-feira, 1 de dezembro de 2021. Postado por .

Este texto foi produzido pela Agência Cultivo em uma parceria com o Canal do Horticultor, uma plataforma de conteúdo da Isla Sementes. Os textos foram publicados originalmente aqui.

Você já ouviu falar de empresas que, diante de acontecimentos inesperados, tiveram sua reputação arranhada ou desgastada? E sabe por onde começar a posicionar a sua marca que comercializa hortifrútis e/ou produtos naturais? E o que é esse tal de posicionamento do qual falamos aqui?

Antes de começar a explicar tudo para você, tenha em mente o seguinte: tanto a reputação quanto o posicionamento são elementos que precisam ser olhados continuamente. Isso porque eles integram o que você e sua marca são, como você se mostra e o que os outros falam a respeito dela.

Para começo de conversa: por que pensar em reputação e posicionamento?

Marcas são compostas por dois elementos: os tangíveis, ou seja, que você pode ver e/ou tocar, como os produtos que ela comercializa ou os serviços que ela oferece; e por elementos intangíveis, como a reputação e o posicionamento, que você não vê diretamente, mas que partem de sensações e percepções.

Mesmo que você não pense nisso de maneira consciente, esses elementos fazem parte do que você faz.

Todo mundo se posiciona – e não se posicionar é um posicionamento. Reputação toda marca tem. Pense aí em qualquer uma com a qual você trabalha e recorde quais adjetivos você usa pra descrevê-la. São positivos ou negativos? Você voltaria a fazer negócios com ela ou não?

Pois então…

Agricultores e agricultoras familiares, sobretudo quando comercializam com marca própria ou vendem em feiras, também tem posicionamento e reputação.

Neste post, vamos dar algumas dicas para você reconhecer a sua reputação e pensar no seu posicionamento. Não importa se sua marca já tem cinco, dez, vinte anos, ou se você recém a criou. Nunca é tarde demais para considerar esses aspectos, que compõem sua comunicação com clientes, fornecedores e distribuidores.

Reputação: difícil manter, fácil perder

A reputação de uma marca é composta, basicamente, pela resposta às seguintes perguntas:

– Como as pessoas falam de você?

– Por que elas compram de você?

– Elas fariam negócio com você novamente?

A reputação é um dos elementos intangíveis mais importantes de uma marca. Isso porque ela designa a qualidade do seu serviço ou produtos e indica se os clientes voltariam a fazer negócios com você.

Ela é, dá para dizer, a raiz que sustenta a árvore no chão. Se o solo estiver mal nutrido, se a planta não for cuidada – CONSTANTEMENTE -, uma chuva fraca pode arrancá-la. Se ela for abundante, tem mais chances de sobreviver a imprevistos e a acontecimentos climáticos.

Em momentos de crise de imagem, é comum que, em uma empresa, a reputação seja arranhada. E aí entram estratégias de gestão de crise, focadas em reconstruir essa imagem ou em, pelo menos, reparar os danos.

Pense, por exemplo, na Operação Leite Compensado, que prejudicou a imagem de diversas empresas da cadeia de produção e distribuição leiteira, mesmo as não envolvidas diretamente no escândalo. Para sair de situações como essas mais facilmente, é importante ter uma reputação bem estabelecida e forte para resistir.

Ou pense no impacto de reportagens que mostram a contaminação cruzada por agrotóxicos ou que podem representar a agricultura familiar de forma negativa. O que sua base de consumidores e clientes sabe sobre você e sua reputação são fundamentais para mantê-lo de pé diante de crises que, mesmo que não aconteçam diretamente com você, podem afetar sua marca.

Por isso, sempre repetimos, na comunicação, que uma boa reputação leva anos para ser construída e apenas um dia para ser ruída. Cuide bem da sua. Todos os dias.

E reputação tem a ver com o próximo item deste post…

Posicionamento: como eu me diferencio dos demais? Como eu quero que falem da minha marca?

O posicionamento de marca responde, basicamente, às seguintes perguntas:

– Como minha marca se diferencia da concorrência? O que eu ofereço de único aos clientes?

– De quais adjetivos quero que lembrem quando ouvirem o nome da minha marca ou consumirem meus produtos? Artesanal, leve, jovem, séria, responsável, familiar…?

– Como eu produzo e quem produz comigo?

– Como eu conto isso para os outros por meio do logotipo (aquele símbolo visual que você estampa em tudo) e em todos os locais em que as pessoas entram em contato com a marca?

– Como eu alcanço, por meio dos meus valores, o meu público de interesse, ou seja, as pessoas que consomem meus produtos ou serviços?

Bastante coisa, né? O posicionamento de marca é abrangente mesmo e compreende, em primeiro lugar, sua essência – o que você é. Depois, estudando o público de interesse, ou seja, quem consome seus produtos e o porquê, traça estratégias para atingi-lo e reforçar sua identidade junto aos clientes.

Sua marca, com certeza, tem um posicionamento. Pense, principalmente, no que te move a plantar, cultivar, colher e comercializar teus produtos. Tenha em mente, também, a forma como você expressa isso no atendimento. Você explica a forma de produção? Conta de onde vem as sementes, quem trabalha com você, a artesanalidade envolvida em todo o processo?

Tudo isso já são pistas importantíssimas para você ir aprimorando e ver se o posicionamento condiz com a forma com a qual você quer que os clientes lembrem de você e que propaguem sua marca!

Por exemplo: se você quer – e nós recomendamos fortemente isso – que lembrem de você como uma marca artesanal, familiar e responsável ambientalmente, é importante que o seu posicionamento transpareça esses aspectos em todos os espaços que entra em contato com o público.

No fim das contas, a percepção das pessoas também vai ser bem subjetiva, mas a comunicação lida com esses elementos também, principalmente com sentimentos, sensações e relações.

O posicionamento de uma marca consistente considera isso e leva adiante sua essência por meio do logotipo, do conteúdo nas redes sociais, do atendimento, da estrutura física, da forma de produção etc. É, afinal, uma das partes que sustentam a reputação! Por isso, ambas crescem e se alimentam juntas, cooperando – como a natureza o faz, né?

Achou complexo entender tudo isso? Calma! Ainda vamos desdobrar outros elementos de comunicação importantes na agricultura familiar, pensando especificamente em horticultores. Os próximos conteúdos versam sobre atendimento presencial e por WhatsApp e aprofundam o posicionamento de marca!

Gostou deste texto? Ele te ajudou? Comenta aqui embaixo para a gente saber ou nos escreva para contato@agenciacultivo.com.br. Vamos gostar de saber também quais temas e abordagens te interessam mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também

O que é marketing de conteúdo e por que ele destaca marcas do setor rural?

Conteúdo de qualidade vai muito além de falar da sua marca e dos seus produtos. Mais do que se vender enquanto empreendimento, instituição ou rota turística no campo, você precisa engajar clientes ou potenciais turistas para que eles lembrem de você. Para isso, existe o marketing de conteúdo.

4 situações em que a assessoria de comunicação é fundamental para o setor rural

A assessoria de comunicação é mais do que um serviço que garante que você apareça nas mídias e tenha redes sociais atualizadas. Ela potencializa sua marca em lançamentos de produtos, gerencia crises de imagem e cobre sua presença em eventos. Saiba mais neste post.

6 dicas práticas para gerenciar crises de imagem em empresas de agricultura familiar

Toda empresa ou instituição pode ser acometida por crises de imagem em algum momento, o que coloca em risco anos de trabalho. Quer saber como aproveitar a maré ruim e minimizar os efeitos negativos? Te damos seis dicas neste post.