O que é marketing de conteúdo e por que ele destaca marcas do setor rural?

quinta-feira, 2 de agosto de 2018. Postado por .

Conteúdo de qualidade vai muito além de falar da sua marca e dos seus produtos. Mais do que se vender enquanto empresa, instituição ou rota turística no campo, você precisa engajar clientes ou potenciais turistas para que ele lembre de você. Para isso, existe o marketing de conteúdo.

O marketing de conteúdo vai na contramão da lógica da publicidade e do marketing tradicionais, que lidavam com consumidores sem poder de pular o vídeo, trocar de página ou fechar a janela do navegador. Com a televisão e o rádio, ainda hoje o consumidor é passivo, no sentido de ser obrigado a consumir determinada propaganda ou inserção de marca.

Por isso, a nova lógica conectada desafia os profissionais de comunicação. Como fazer com que o consumidor seja atingido pelo conteúdo que você produz, conheça seu empreendimento e queira saber mais sobre ele? Aí entra o marketing de conteúdo.

Neste post, nós explicamos o que é essa ferramenta e como aplicá-la. Quando bem feita, o retorno é maior do que com a publicidade tradicional.

O que é marketing de conteúdo?

A primeira pergunta que você deve estar fazendo é: resumidamente, o que é marketing de conteúdo?

“[…] é uma maneira de engajar o público-alvo de sua empresa e fazer crescer sua rede de clientes e potenciais clientes através da criação de conteúdo relevante e valioso, atraindo, envolvendo e gerando valor para as pessoas de modo a criar uma percepção positiva da sua marca e, assim, gerar mais vendas”.

Esta frase foi retirada do livro Obrigado pelo Marketing, escrito pelo co-fundador da Rock Content, uma das maiores agências especializadas em marketing de conteúdo do Brasil.

Resumidamente, dá para dizer que, com o marketing de conteúdo, você vai aumentar o valor da sua marca e fazer com que seus clientes e potenciais clientes tenham uma percepção positiva sobre você, devido ao conteúdo que você fornece. Embora o ambiente digital seja propício para o desenvolvimento dessa estratégia, você pode utilizar meios offline de levá-la adiante. Considere como exemplo uma rota turística, na qual você deverá criar estratégias para atingir o seu público-alvo, que, nesse caso, serão turistas.

Como começar a praticar o marketing de conteúdo?

Para colocar a estratégia em prática, você deve se ater a três questões:

  1. Por que fazer marketing de conteúdo? O que quero atingir?

Estabelecer objetivos é  o primeiro passo para você não gastar dinheiro à toa. Entre suas metas pode estar a intenção de elevar vendas, fidelizar clientes, gerar autoridade, conhecer seu público-alvo, aumentar lembrança de marca e assim por diante. Sempre tenha em mente este primeiro passo, que abre caminho para o restante da jornada.

  1. Para quem vou criar conteúdo?

O segundo passo é igualmente importante e envolve o conhecimento do público para o qual você vai criar conteúdo. Para isso, você pode criar o que chamamos de personas. Isso implica em estimar a idade, o sexo, as preferências, os hobbies, a profissão e outros dados sobre quem vai receber o que você cria.

Pode parecer trabalhoso – e é um pouco mesmo -, mas, sem essa parte, você tem grandes chances de jogar dinheiro fora. Este passo também é fundamental para saber qual linguagem você vai utilizar. Isto é, se será mais formal ou informal, tamanho dos textos ou vídeos, formato etc.

  1. Por meio de quais canais vou alcançar minhas metas e atingir meu público?

Agora que você já sabe quais são seus objetivos e quem você quer atingir, vamos para o último passo: quais canais utilizar para fazer o marketing de conteúdo? Aqui você decide se aplicará a estratégia por meio de um blog, de redes sociais, de vídeos, de canal no YouTube, de revistas, folders ou jornais institucionais impressos etc.

Tudo depende das etapas anteriores. Você pode, ainda, aliar estratégias digitais e offline para garantir melhores resultados.

Que tipos de conteúdo posso criar?

Em termos práticos, se você tem uma agroindústria que comercializa compotas, em vez de somente falar dos seus produtos, você pode criar um blog dentro do seu site e compartilhar textos sobre a produção artesanal de geleias, sobre o cultivo de morangos, sobre os benefícios de cada fruta para a saúde etc.

Você nem precisa criar um blog para isso, se não tiver verbas. Pode dividir essas informações na sua página institucional no Facebook, criando conteúdo altamente compartilhável. Estas informações engajam muito mais, porque as pessoas tendem a se interessar por conteúdos que impactem o dia a dia delas. Assim, elas vão compartilhar o post no seu perfil pessoal, mais pessoas vão ver sua marca e associá-la à qualidade.

É importante frisar a importância de ter cuidado na divulgação dos conteúdos, pois eles devem ser bem elaborados e checados. Caso contrário, ao veicular informações erradas, você faz uma propaganda negativa – e reverter uma imagem arranhada dá o dobro de trabalho.

Para colocar em prática uma estratégia de marketing de conteúdo para a sua empresa, instituição, cooperativa ou rota de turismo rural, entre em contato com a Cultivo pelo e-mail contato@agenciacultivo.com.br ou pelas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Como o planejamento de comunicação garante o sucesso de empreendimentos da agricultura familiar?

Planejamento é a alma do negócio. Com o plano de comunicação e marketing nas empresas relacionadas à agricultura familiar não é diferente. Neste post, explicamos como você pode utilizar essa ferramenta a seu favor para consolidar seu empreendimento.

5 motivos para agroindústrias investirem em comunicação

Que a comunicação é essencial para tornar sua marca conhecida, disso ninguém duvida. Se você ainda não está convencido da necessidade de uma agência para alavancar sua agroindústria, neste post damos cinco motivos para você mudar de ideia.

Por que você deve comprar produtos de cooperativas agropecuárias?

O Dia Internacional do Cooperativismo é em 7 de julho. Para reforçar a importância das cooperativas que trabalham com agronegócio, registramos o quanto elas são essenciais e fazem a diferença para agricultores e para a economia brasileira.